19 setembro 2007

Patch Adams na Venezuela


Patch Adams consegue ser muito mais figura que Robin Willians, que o interpretou no cinema. Aqui, em entrevista à VTV, com direito a gravata de patinho e camisa de gueixas:


"Terra da liberdade"

Esta eu também fiquei sabendo pelo Azenha:

O que mais me assusta? Os aplausos, aqueles que riem ao fundo, a passividade dos demais. Ao presenciar um abuso destes vc ficaria quieto?

Armado com um livro ele só fez uma pergunta, teve como resposta brutalidade policial totalmente descabida. Cinco policiais e armas de choque para imobilizar uma pergunta, só faltou queimarem o livro. Num país que se auto-intitula "terra da liberdade".

12 setembro 2007

A doutrina do choque

Por enquanto só assino um canal do YouTube, o do Azenha. Em sua última atualização colocou o fantástico The Shock Doctrine:



No sítio homônimo indicado, fico sabendo que o vídeo é propaganda do livro, também homônimo, que está para ser lançado nos EUA. Por enquanto sem previsão para o Brasil.

Incultos

A revista Carta Capital publicou uma matéria de Paula Pacheco chamada "A elite esperneia":


Desde a separação de Ricardo Mansur, em 2003, Patrícia Rollo leva uma vida mais modesta. Trocou a espaçosa casa no Morumbi por um apartamento pequeno, ainda que bem decorado, na região dos Jardins. Os lautos tempos de primeira-dama do império Mesbla e Mappin parecem coisas do passado. Patrícia, porém, como ela mesma diz, continua a fazer parte de um “clubinho”, um universo de brasileiros que mal chegam à casa do milhão de integrantes, usualmente denominados de elites.

A exemplo de vários dos seus pares, Patrícia está cansada. E não só do presidente Lula ou do caos aéreo. Está farta de ser apontada, ao lado dos amigos, como responsável pelas mazelas históricas do País. “Os menos privilegiados fantasiam a elite como uma vida perfeita”, afirma a socialite. Antes de continuar o raciocínio, manuseia o colar de pérolas. “O povo está acomodado. Não vou falar dos baianos. Será que devo falar? Até pelo clima, pelo calor, pela falta de cultura, é inerte. Tem gente que fica com o Bolsa Família e não trabalha mais”, analisa, para em seguida enumerar seus apoios a projetos sociais. Entre eles, a doação dos lucros do livro Boas Maneiras – Nunca é tarde para aprender ao projeto Escola do Futuro, que mantém 600 alunos carentes.

A reação de Patrícia é parte de um fenômeno que tem se manifestado de forma mais constante e do qual o movimento Cansei, encabeçado pela seção paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, o promoter João Dória Jr., cantores e celebridades, é a face mais pública e comportada. Nos cafés de 9 reais e coiffeurs, nas mesas dos restaurantes que servem Petrus nas suas cartas de vinho e nas butiques de grife das maiores cidades percebem-se os indícios de uma rebelião dos abastados, pautados pelo noticiário renitente e monocórdio acerca da “corrupção nunca antes vista” e menos afeitos a admitir responsabilidade pelo enorme fosso social, pela captura do Estado por interesses privados e pelas limitações da cidadania que, no fim das contas, afeta a todos.


Sobre o trecho que destaquei, gostaria de fazer algumas observações. A primeira: a mentalidade da nossa elite continua sendo a do tempo da colônia. Explico-me: a elite não se vê como brasileira, mas simplesmente como representante dos interesses da sede européia. Para a sra. Rollo, por exemplo, fica transparente que "cultura" é apenas a importada da Europa, artificial e aprendida. A cultura autêntica, inata e bonita de nosso povo culto -perdoem me a redundância- seus maracatus, bumba-meu-boi, frevos, poetas de cordél, sertanejos "de raiz", etc. Nada disto seria cultura para Dona Zelite, aquela velha escrota.

Quanto à outra afirmação, a de que haveria "gente que para de trabalhar por receber Bolsa Família", seria ótimo se baixasse um Antônio Abujanra na repórter, que rebateria de pronto:

- Diga três.

11 setembro 2007

11 de Setembro


A BBC informa que: "60 % dos americanos lembram do 11/09 (2001) uma vez por semana". Entretanto, do 11/09 da foto acima - que eles financiaram, planejaram e ajudaram a executar, e acabou com a morte do presidente democrático do Chile - eles não se lembram nunca.

08 setembro 2007

Stop the bullets. Kill the guns.

Belo anuncio (descoberto aqui):




Ao beber, não blogue: o título original deste post era: Stop de bullets. Kill the guns;

Não caia no engodo, divulgue a Rede Blogo

A Rede Blogo é uma iniciativa do SIVUCA. A estréia foi quentíssima e contém, entre outras coisas:

  • Vídeo impagável do Cid Moreira lendo um direito de resposta, concedido à Leonel Brizola, em 1994.
  • Vídeo de um chilique dado pelo tucano (Corrup) Tasso Jereissati ao ser pego de "calças-curtas", tendo reclamado de um comportamento de Mercadante, sem ter amparo regimental para isto.
  • Vídeo de uma máteria da TV Bandeirantes que revela que a empresa racista sul-africana que comprou participações na editora Abril (da Veja) o fez por meio de uma empresa fantasma.
Além de links para outras matérias interessantes, postagens e - não poderia faltar - críticas ao presidente Lula, por governar para agradar os conservadores (Jean Scharlau está certo).

Confiram o post de estréia da Rede Blogo.

07 setembro 2007

O Vietnã de Fausto Wolff

O cartunista Carlos Latuff e o jornalista e escritor Mário Augusto Jakobskind entrevistam o escritor, super-herói e jornalista FaustoWolff, onde ele fala sobre o Vietnã e um pouco sobre o Iraque:




05 setembro 2007

De que lado você samba?

A maioria das pessoas verá a moça girando em sentido horário. Uma minoria, geralmente canhotos, verá a moça girando em sentido anti-horário. Isto é por conta do lado dominante do cérebro de cada um. Com um pouco de teimosia é possível vê-la girando para o lado que se desejar.


Sei muito bem que não está girando, culpe o Blogger que zoa a imagem ao fazer upload. Neste blog tem a imagem, girando como deve.

Movimento dos Sem-Mídia

Ou: O que você tem para fazer dia 15 de setembro?



Eduardo Guimarães está organizando o Movimento. O Azenha está ajudando a divulgar. De início, só de início, pretende-se fazer uma manifestação em frente à Folha, a manifestação é contra o deplorável estado panfletário a que chegou a nossa grande imprensa. Leia a primeira versão, ainda sendo ajustada, do manifesto: